quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Mulher Solteira Procura

(Single White Female, 1992, Barbet Schroeder)



Bem indos à 2014, bem vindos ao meu Blog!

Sentiram minha falta? Rsrsrsrs! Não aguentei ficar muito tempo longe desse blog e logo após as comemorações já vim logo colocar mais uma resenha de filme aqui, rs! Eu sou o Álvaro e esse é o Terror de Álvaro! Apesar do nome, o filme de hoje é um suspense, se bem que pra mim não há muita diferença, pois, são dois gêneros preferidos meus e que andam sempre junto, apesar de terror ter suspense (pelo menos deve) porém o suspense nem sempre ter/causar terror, mas, nesse blog, como já o descrevi, colocarei em sua maioria resenhas de terror e suspense então vamos lá.

O filme dono da primeira resenha de 2014 é o suspense Mulher Solteira Procura do ano de 1992, ano que eu nasci, olha que legal! O incrível é você ver o filme e perceber como possui características tão marcadas dessa década como por exemplo o visual dos personagens, mais incrível ainda é você ver e falar "nossa isso é tão anos 90". Gente como passou rápido, parece que foi ontem que estavamos entrando em 2000, o pior é que já saímos da década de 2000 e estamos na de 2010 (e em 2014)! Bom, mas vamos a resenha: dirigido pelo francês Barbet Schroeder (que já dirigiu outros supenses não tão sucessivos como Medidas Desesperadas e Cálculo Mortal) porém baseado nos States, mais precisamente na bela Nova York onde a designer de softwares Allison Jones (Bridget Fonda) abalada pela separação com seu noivo Sam Rawson (Steven Weber) resolve alugar/dividir o apê que antes convivia com ele, porém, dessa vez com uma mulher com que possa se amigar e fazer esquecê-la do seu ex-parceiro, é quando, depois de algumas entrevistas conhece/loca o apê para a acanhada porém prestativa Hedra Carlson (Jennifer Jason Leigh). Ambas se tornam boas companheiras, Allison acha ter atingido seu objetivo de esquecer Sam na amizade com Hedra e torna-se assim a melhor - e única - amiga dela, só que quando Sam tenta reconquistar Allison e percebendo que ele está conseguindo Hedra começa a se comportar alteradamente do que demonstrava, algo que vai muito além do ciúmes, mostrando sua verdadeira face.

É um suspense previsível, mas que cumpre com sua função de suspense Super Cine (adooro!), mesmo tendo sido reprisado no SBT. Peca em alguns pontos, na maioria deles no final, com algumas soluções do roteiro totalmente forçadas como que pra acabarem logo com o filme que se mostrou tão bom de seu começo ao meio. Uma decepção minha, só minha mesmo - acho que só eu achei isso, foi o fato da vilã não ter sido a ruivinha (Fonda), pois, quando eu vi a capa do filme eu jurei que a vilã seria ela (acho que isso deve-se à mídia artística ter esteriotípado tanto os vilões como ruivos ou albinos) e devido á introdução, a cena que mostra duas irmãs gêmeas (que mais tarde no filme é mostrado a relação entre essa cena e o resto da história), mostrar duas meninhas que crescidas poderiam se parecer mais com a Allison do que com a Hedra. O interessante é que Bridget Fonda teve a escolha de escolher qual o papel que ela queria atuar no filme, mas te todo o mal não foi ruim assim, afinal, vamos combinar que Jennifer Leigh deu um banho de atuação, ou melhor ambas, pois, o papel que cada uma desempenhou não foi nada previsível para as duas.


Nota: 7 / 10